Educadores e educandos da EJA como sujeitos do processo de ensino aprendizagem e suas relações humanas

Vilson Pereira dos Santos

Resumo


Este artigo aborda a educação de jovens e adultos enfocando o professor e o aluno da EJA como sujeitos do processo de ensino-aprendizagem e não como objetos e as relações de afetividade entre esses atores. Inicialmente, neste trabalho, tratar-se-á sobre o professor e o aluno da EJA, ambos, como sujeitos do processo de ensino-aprendizagem dessa modalidade de educação. Ao final, abordam-se as relações de afetividade entre professor e aluno no processo de ensino-aprendizagem dentro dos muros da escola. Sabe-se que as relações humanas, embora sejam complexas, são importantes e fundamentais para o comportamento do ser humano em qualquer ambiente e, principalmente, na escola. Este artigo é resultado de uma pesquisa para uma dissertação de mestrado em educação ocorrida no ano de 2011 sobre a Educação de Jovens e Adultos.


Referências


BARRETO, Vera; CARLOS, José. Um sonho que não serve ao sonhador. Construção coletiva: contribuições à educação de jovens e adultos. — Brasília: UNESCO: MEC: RAAAB, 2005.

BICAS, Maurilene de Souza; VÓVIO, Cláudia Lemos. Formação de educadores: aprendendo com a experiência. Construção coletiva: contribuições à educação de jovens e adultos. — Brasília: UNESCO, MEC, RAAAB, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

PINTO, Álvaro Vieira. Sete lições sobre educação de adultos. 15 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

RODRIGUES, Maria Emília de Castro. A Prática do Professor na Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos: a experiência do Projeto AJA de Goiânia-GO. Dissertação de Mestrado. Goiânia, 2000.

SANTOS, Esmeraldina Maria dos. Os saberes dos professores do ensino fundamental da educação de adolescentes, jovens e adultos. Dissertação (mestrado) – Universidade de Católica de Goiás, Mestrado em Educação, 2007.