A CONSTRUÇÃO SOCIAL DO CONCEITO DE PLANEJAMENTO: REPRESENTAÇÃO SOCIAL DE UM GRUPO DE ALUNAS DO CURSO DE MAGISTÉRIO

Juliano Bona, Rosangela Cristina Machado Bertram

Resumo

Este artigo trata sobre a influência do senso comum na construção do conceito de planejamento. O objetivo deste artigo é discutir esta influência e compreender como um grupo de alunas do curso de magistério apreende saberes vinculados ao planejamento que circula no senso comum. A base metodológica está vinculada ao paradigma qualitativo de investigação nos moldes de pesquisa participante. Os registros analisados foram obtidos através de apontamentos feitos por estas alunas, futuras professoras, a partir de uma discussão, em sala de aula, sobre o que é planejar. A base teórica se relaciona à Teoria das Representações Sociais e aos Estudos sobre Planejamento, objetivando compreender a construção das representações sociais de planejamento, através dos processos de objetivação e ancoragem e identificar os diferentes conceitos de planejamento compartilhados na sociedade e no espaço escolar. Há dois aspectos relacionados ao planejamento que são apontados neste artigo. O primeiro é a influência do processo de racionalização das sociedades capitalistas gerando núcleos figurativos em que os saberes sobre planejamento estão atrelados. O segundo enfoque aponta para o planejamento no espaço escolar e a maneira com que as idéias a ele relacionadas são ancoradas pelos sujeitos. Os registros apontam para uma elaboração conceitual de planejamento, ancorada em saberes e práticas de organização e racionalização do trabalho escolar. No espaço escolar estes saberes se objetivam no planejamento das rotinas na escola. É possível notar, através deste estudo, que as alunas formam um campo representacional compartilhado racionalizando os saberes ligados ao planejamento, criando um sentimento de pertencimento em relação ao grupo.