FRENCH SOFTWARE POLITICS: ACTIVISM AND THE DYNAMICS OF GLOBALIZATION FROM BELOW

Pierre-Amiel Giraud, Sara Schoonmaker
DOI: https://doi.org/10.21529/RESI.2014.1302003

Texto completo:

PDF (English)

Resumo

Neste artigo exploramos a forma como o ativismo do movimento pelo software livre na França pode ajudar a compreender a dinâmica da globalização por baixo. Inicialmente, exploramos o contexto no qua los ativistas do software livre na França construíram sua comunidade. Eles aplicaram a abordagem da Fundação de Software Livre - Free Software Foundation (FSF) -, que baseou o seu trabalho no que chamamos de “discurso de liberdade”. Por meio desse discurso, os líderes do FSF articularam seus objetivos e atividades para enfatizar a importância de os usuários e desenvolvedores de software terem acesso ao código fonte. Igualmente importante, eles definiram o software livre com uma nova forma de propriedade que fornecia uma alternativa ao formato proprietário. A seguir, exploramos o desenvolvimento da comunidade do software livre na França. Desde 1996 os ativistas aplicam o discurso da Liberdade para promover e defender o software livre como uma nova forma de propriedade. Ao longo dos primeiros cinco anos eles se concentraram no trabalho de educação do público; contudo, a partir de 2001, se mobilizaram para fazer oposição ao duas iniciativas legislativas que ameaçavam o software livre ao definirem provisões para gestão dos direitos digitais. Por fim, refletimos sobre como o caso dos ativistas franceses ajuda a compreender a dinâmica da globalização de baixo. Destacamos as formas contraditórias como esses ativistas criaram ligações entre comunidades locais e globais para criar públicos que ultrapassam fronteiras.Neste artigo exploramos a forma como o ativismo do movimento pelo software livre na França pode ajudar a compreender a dinâmica da globalização por baixo. Inicialmente, exploramos o contexto no qua los ativistas do software livre na França construíram sua comunidade. Eles aplicaram a abordagem da Fundação de Software Livre - Free Software Foundation (FSF) -, que baseou o seu trabalho no que chamamos de “discurso de liberdade”. Por meio desse discurso, os líderes do FSF articularam seus objetivos e atividades para enfatizar a importância de os usuários e desenvolvedores de software terem acesso ao código fonte. Igualmente importante, eles definiram o software livre com uma nova forma de propriedade que fornecia uma alternativa ao formato proprietário. A seguir, exploramos o desenvolvimento da comunidade do software livre na França. Desde 1996 os ativistas aplicam o discurso da Liberdade para promover e defender o software livre como uma nova forma de propriedade. Ao longo dos primeiros cinco anos eles se concentraram no trabalho de educação do público; contudo, a partir de 2001, se mobilizaram para fazer oposição ao duas iniciativas legislativas que ameaçavam o software livre ao definirem provisões para gestão dos direitos digitais. Por fim, refletimos sobre como o caso dos ativistas franceses ajuda a compreender a dinâmica da globalização de baixo. Destacamos as formas contraditórias como esses ativistas criaram ligações entre comunidades locais e globais para criar públicos que ultrapassam fronteiras.

Palavras-chave

free software; activism; transboundary public; freedom discourse; France