A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O PLANEJAMENTO DE AÇÕES E POLÍTICAS DE SAÚDE NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE (doi:10.5329/RESI.2008.0702004)

Licélia de Lima Mendonça, Marie Anne Macadar

Resumo


Com o advento da Constituição Federal de 1988 foi introduzido, no sistema de saúde brasileiro, o conceito de descentralização da gestão da saúde. Em 1990, foi criada a Lei Orgânica do Sistema Único de Saúde (SUS) e no ano seguinte o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Partindo-se do pressuposto de que sistemas de informação (SI) podem apoiar o processo de tomada de decisão, e considerando-se o contexto da área da saúde no Brasil, a se­guin­te pergunta de pesquisa foi formulada: “Como os gestores, da rede de Atenção Básica de Porto Alegre, estão utilizado as informações geradas pelos sistemas de informação disponíveis na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para formulação do planejamento de estratégias do Programa Saúde da Família (PSF)?” Assim, através de um estudo de caso único de caráter exploratório realizado no município de Porto Alegre (RS) durante o ano de 2008, foram inicialmente identificados os principais sistemas de informação utilizados pelo PSF. Posteriormente, com base em dados de 2006 e 2007 advindos desses SI, foram realizadas análises para verificar possíveis incongruências. Assim, foi possível questionar gestores do PSF sobre as divergên­cias encontradas entre os dados advindos dos SI utilizados pela SMS. Como resul­tados deste estudo destacam a não integração entre os diversos SI utilizados, a falta de confiabilidade dos dados coletados, a ausência de alinhamento estratégico na SMS e o não comprometimento dos envolvidos na área da saúde municipal.

Palavras-chave


tomada de decisão; saúde pública; sistemas de informação; município

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .