Criança, estética e linguagem: possibilidades para formações

Vilmar Martins, Kainara Ferreira de Souza

Texto completo:

PDF

Resumo

Na busca de outras possibilidades formativas este trabalho ensaia uma leitura estética pedagógica da animação O menino e o mundo de Alê Abreu, sua trilha sonora Aos olhos de uma criança de Emicida e a terceira transmutação do espírito narrada no Zaratustra de Nietzsche. Genealogicamente fazemos uso do que o filósofo do martelo defende como interpretação, observamos no menino do filme a criança de Nietzsche, ou seja, inocência, novo começo, jogo, roda a girar por si mesma, primeiro movimento e sagrado dizer sim. A partir deste movimento interpretativo nos perguntamos: Que possibilidades pedagógicas se abrem ao observamos o mundo com o olhar de uma criança? Uma educação estética ainda encontra lugar em nossos espaços formativos? Instigados por essas provocações nos propusemos a experimentar junto com outros professores da rede municipal de Balneário Camboriú uma outra proposta pedagógica que fugisse do gregarismo e da fixação. Atravessados pelos sentidos que a perspectiva da criança nos moveu, este trabalho ainda segue refletindo a formação humana inserida no devir existencial como possibilidade para sair dos lugares comuns e ensaiarmos, ou, até mesmo experimentarmos, outras linguagens, outros métodos, outras aproximações para assim abrirmos outras perspectivas.



Referências


BOAL, Augusto. Jogo para atores e não atores. Tradução: Bárbara Wagner Mastrobouno. São Paulo: Cosac Naify. 2015. p.416.

EMICIDA. Aos olhos de uma criança. São Paulo: Laboratório Fantasma. 2013.

LARROSA, Jorge. Nietzsche & a Educação. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica. 2009. p120.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falava Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Tradução de Mario Ferreira dos Santos. Petrópolis-RJ: Vozes. 2011.

___________, Friedrich Wilhelm. Aurora: reflexões sobre os preconceitos morais. Tradução de Mário D. Ferreira Santos. Petrópolis-RJ: Vozes. 2008.

O MENINO e o mundo. Direção: Alê Abreu. Produção: Filme de Papel. BRASIL, 2013. 83 min.

PAGNI, Pedro Angelo. Um ensaio sobre a experiência, a infância do pensamento e a ética do cuidado: pensar a diferença e alteridade na práxis educativa. In: Kohan, Walter Omar (org.). Devir-criança da filosofia: infância da educação. Belo Horizonte: Autêntica. 2010.