INSTRUMENTO PARA ANÁLISE DE FATORES DE IMPACTO NO ERRO DE ESTIMATIVAS DE ESFORÇO E DE DURAÇÃO EM PROJETOS DE SOFTWARE

Juan Francisco Fonseca OKeeffe, Leonardo Rocha de Oliveira, Gabriel Gonçalves Sampaio

Resumo


Recursos de TI representam um importante ativo organizacional particularmente útil para suporte à tomada de decisões sobre objetivos de negócios. Atividades de desenvolvimento de software têm papel significativo sobre o total de investimentos das empresas em recursos de TI. O mercado brasileiro de software e serviços relacionados vem crescendo a cada ano e atualmente atinge quase 1% do PIB nacional, oferecendo oportunidades para profissionais e organizações prestadoras de serviços de desenvolvimento de software. Ao mesmo tempo em que cresce o volume de negócios, pesquisas indicam que cerca de 60% a 80% dos projetos de software excedem a quantidade de esforço e/ou duração estimada e isto representa problemas para organizações, clientes e prestadoras destes serviços. Estes problemas são basicamente de dois tipos, estando associados a erros de estimativas (i) de esforço e (ii) de duração. Este trabalho tem o objetivo de apresentar um instrumento para analisar os fatores de impacto no erro de estimativas de esforço e de duração em projetos de software. Para o trabalho foi usada uma pesquisa exploratória e qualitativa, com entrevistas a especialistas em gestão de projetos de software. O artigo detalha o processo de desenvolvimento do instrumento e apresenta opiniões dos especialistas quanto à sua qualidade e aplicabilidade. Em sua versão atual, pode ser considerado como uma ferramenta adequada para imprimir melhorias contínuas em projetos de desenvolvimento do software.

Palavras-chave


gestão de projetos de software; estimativa de esforço; estimativa de duração

Referências


ABES. Mercado brasileiro de software. Panorama e tendências 2009, 2009. Disponível em: http://www.abes.org.br/arquivos/MercadoBR-2009-Resumo Exec.pdf. Acesso em 02 Nov 2012.

ABES. Mercado brasileiro de software. Panorama e tendências 2011, 2011. Disponível em: http://central.abessoftware.com.br/Content/UploadedFiles/Arquivos/Dados%202011/Mercado_BR2011.pdf. Acesso em: 24 Nov 2012.

BERKUN, S. The art of project management. EUA: O’Reilly, 2005.

BECK et al. Manifesto for agile software development. Disponível em: http://agilemanifesto.org/. Acesso em: 02 Nov 2012.

BOEHM, B. Software engineering economics. EUA: Prentice Hall, 1981.

BROOKS, F. The mythical man month – essays on software engineering. 20th Anniversary Edition. EUA: Addison Wesley, 1995.

COOPER, D; SCHINDLER, P. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

COHN, M. Agile estimating and planning. EUA: Prentice Hall, 2006.

FOWLER, M. The new methodology. EUA, 2005. Disponível em: http://www.martinfowler.com/articles/newMethodology.html#PredictiveVersusAdaptive. Acesso em: 02 Nov 2012.

IIR (Industrial Information Resources). Industrial outlook for project spending in 2003 and beyond, 2002. Disponível em http://www.ecc-conference.org/past-conferences/2002/lewis_v3.pdf. Acessado em 02 Nov 2012.

JONES, C. Estimating software costs – bringing realism to estimating. EUA: McGraw-Hill, 2007.

JØRGENSEN, M. A review of studies on expert estimation of software development effort. The Journal of Systems and Software, v. 70, n. 1-2, Feb. 2004.

JØRGENSEN, M.; MOLØKKEN-ØSTVOLD, K. A review of surveys on software effort estimation. In: International Symposium on Empirical Software Engineering (ISESE’03), Rome. Proceedings… IEEE Computer Society, 2003.

JØRGENSEN, M.; MOLØKKEN-ØSTVOLD, K. Reasons for software estimation error: impact of respondent role, information collection approach, and data analysis method. IEEE Transactions on Software Engineering, v. 30, n. 12, Dec. 2004.

JØRGENSEN, M.; MOLØKKEN-ØSTVOLD, K. A comparison of software project overruns – flexible versus sequential development models. IEEE Transactions on Software Engineering, v. 31, n. 9, Sep. 2005.

JØRGENSEN, M.; SHEPPERD, M. A systematic review of software development cost estimation studies. IEEE Transactions on Software Engineering, v. 33, n. 1, 2007.

JØRGENSEN, M.; GRIMSTAD, S. Avoiding irrelevant and misleading information when estimating development effort. EUA: IEEE Software, 2008.

JØRGENSEN, M.; GRUSCHKE, T. The impact of lessons-learned sessions on effort estimation and uncertainty assessments. IEEE Transactions on Software Engineering, v. 35, n. 3, May-Jun 2009.

KERZNER, H. Project management – a systems approach to planning, scheduling and controlling. 10. ed. EUA: Wiley, 2009.

LEDERER, A.; PRASAD, J. Causes of inaccurate software development cost estimates. Journal of Systems Software, v. 31, n. 2, Nov 1995.

MALHOTRA, N. Pesquisa em marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas, 2001.

McCONELL, S. Software estimation. EUA: Microsoft Press, 2006.

MORGENSHTERN, O.; RAZ, T.; DVIR, D. Factors affecting duration and effort estimation errors in software development projects. Information and Software Technology, v. 49, n. 8, Aug. 2006.

PMI (PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE). Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos (Guia PMBOK). 4. ed. Project Management Institute, 2008.

PUTNAM, L.; MYERS, W. EUA: Five core metrics. Dorset House Publishing, 2007.

STANDISH GROUP. Chaos summary 2009. Disponível em http://www.4shared. com/office/Bz9oJ1xd/Standish_Group_CHAOS_Summary_2.html. Acesso em 02 Nov 2012.


Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .