Contradições da pós-graduação em administração brasileira

Marcelo de Souza Bispo
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.2020007

Texto completo:

PDF

Resumo

O objetivo deste ensaio é discutir contradições da pós-graduação em administração tomando como base o que acontece no Brasil e que pode ter ressonância em outros países de modo a considerar seus impactos no processo de avaliação dos programas de pós-graduação brasileiros e nas carreiras dos profissionais envolvidos no brasileiro de ensino superior. A partir da confusão criada entre os conceitos do que é ensino e o que é pesquisa, defendo que a pós-graduação não é “o” espaço da pesquisa em administração, mas o espaço do ensino da pesquisa. Apresento ao longo do meu raciocínio como esta confusão geram distorções nas práticas dos programas de pós-graduação em administração brasileiros, assim como no sistema de avaliação desses programas realizados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); que é a organização pública nacional responsável por esse processo. Ao final sugiro que seja definido o mestrado como nível de formação para o ensino e o doutorado como nível de formação para pesquisa.


Palavras-chave

pós-graduação; administração; ensino; pesquisa; contradições


Referências


AACSB. (2013). The promise of business doctoral education: setting the pace for innovation, sustainability, relevance, and quality. Disponível em http://www.aacsb.edu/~/media/AACSB/Publications/research-reports/the-promise-of-business-doctoral-education.ashx. Acesso em 16/05/2018.

Alcadipani, R. (2011). Resistir ao produtivismo: uma ode à perturbação acadêmica.

Cadernos EBAPE.BR, 9(4), 1174-1178.

Alperstedt, G. D., Andion, C. (2017). Por uma pesquisa que faça sentido. RAE-Revista de Administração de Empresas, 57(6), 626-631.

Balkin, D. B., & Mello, J. A. (2012). Facilitating and creating synergies between teaching and research: the role of the academic administrator. Journal of Management Education, 36(4), p. 471-494.

Banerjee, S., & Morley, C. (2013). Professional doctorate in management: toward a practice-based approach to doctoral education. Academy of Management Learning & Education, 12(2), 173-193.

Bastos, A. V. B., Tourinho, E. Z., Yamamoto, O. H., & Menandro, P. R. M. (2011). Réplica 1- Formar docentes: em que medida a pós-graduação cumpre esta missão? RAC-Revista de Administração Contemporânea, 15(6), p.1152-1160.

Bispo, M. de S. (2017). Educating qualitative researchers in management: toward performative judgments. Revista de Administração de Empresas-RAE, 57(2), p. 158-169.

Bispo, M. S., & Costa, F. J. (2016). Artigos como avaliação discente em disciplinas de pós-graduação: instrumento educativo ou subsistema de linha de montagem? Cadernos EBAPE.BR, 14(4), 1001-1010.

Boyer, F. (1990). Scholarship Reconsidered: priorities of the professoriate. Princeton: Princeton University Press.

Braxton, J. M. (1996). Contrasting perspectives on the relationship between teaching and research. New Directions for Institutional Research, 90, p. 5-14.

CAPES (2018). GEOCAPES – Sistema de Informações Georreferenciadas. Disponível em https://geocapes.capes.gov.br/geocapes/# acesso em 20/01/2020.

Cassuto, L. (2015). The graduate school mess: what caused it and how we can fix it. Massachusetts: Harvard University Press.

Clark, B. R. (1993) (Ed.). The research foundations of graduate education: Germany, Britain, France, United States, Japan. California University Press: Berkley.

Cunliffe, A. L. & Linstead, S. A. (2009). Introduction: Teaching from Critical Perspectives. Management Learning, 40, 5-9.

Cunliffe, A. L. (2004). On Becoming a Critically Reflexive Practitioner. Journal of Management Education, 28, 407-426.

Fairweather, J. S. (2005). Beyond the Rhetoric: Trends in the Relative Value of Teaching and Research in Faculty Salaries. The Journal of Higher Education, 76(4), p. 401-422.

Hattie, J., & Marsh, H. W. (1996). The relationship between research and teaching: a meta-analysis. Review of Educational Research, 66(4), p. 507-542.

Khurana, R., & Spender, J. C. (2012). Herbert A. Simon on what ails business schools: More than a problem in organizational design. Journal of Management Studies, 49(3): 1–21.

Marx, R. D., Garcia, J. E., Butterfield, D. A., Kappen, J. A., & Baldwin, T. T. (2015). Isn’t It Time We Did Something About the Lack of Teaching Preparation in Business Doctoral Programs? Journal of Management Education, doi: 10.1177/1052562915616430.

Mowbray, S., & Halse, C. (2010). The purpose of the PhD: theorising the skills acquired by students. Higher education research and development, 29(6), 653-664.

Nkomo, S. (2009). The seductive power of academic journal rankings: challenges of searching for the otherwise. Academy of Management Learning & Education, 8(1), p. 106-112.

Patrus, R., Shigaki, H. B., & Dantas, D. C. (2018). Quem não Conhece seu Passado está Condenado a Repeti-Lo: Distorções da Avaliação da Pós-Graduação no Brasil à Luz da História da Capes. Cadernos EBAPE.BR, 16(4), 642-655.

Patrus, R.; Lima, M. C. (2014). A formação de professores e de pesquisadores em administração: contradições e alternativas. Revista Economia e Gestão, 14(34), 4-29.

Pegino, P. M. F. (2014). As Relações Acadêmicas de Produção na Pós-Graduação em Administração no Brasil. Tese de Doutorado, Curso de Doutorado em Administração, EAESP-FGV, São Paulo, São Paulo, Brasil.

Rossoni, L. (2018). Editorial: Produtivismo e Coautoria Cerimonial. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM), 17(2), I-VIII.

Santos, G. T. (2017). Aprendizagem da prática docente na pós-graduação em administração. Tese de Doutorado, Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Serrow, R. (2000). Research and teaching at a research university. Higher Education, 40, p. 449-463.

Soares, I. (2019, maço 10). Desemprego entre mestres e doutores no Brasil chega a 25%. Estado de Minas Gerais, caderno de economia. Recuperado em 20 de janeiro de 2020 de https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2019/03/10/internas_economia,1036705/desemprego-entre-mestres-e-doutores-no-brasil-chega-a-25.shtml.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.