Discurso Organizacional e Isomorfismo Institucional: As Mudanças Gráficas em Jornais Brasileiros

Diego M. Coraiola, Clóvis L. Machado-da-Silva
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20080702008

Texto completo:

Artigo

Resumo

O objetivo da presente pesquisa foi verificar o fenômeno do isomorfismo nas mudanças de projeto gráfico de jornais brasileiros, mediante a análise da influência exercida pelos discursos de três grupos de profissionais: gestores, jornalistas e designers. Com base na perspectiva institucional de análise e nas contribuições da teoria da estruturação e das abordagens de análise do discurso, realizou-se pesquisa qualitativa longitudinal, abrangendo o período compreendido entre 2000 e 2006. Duas etapas foram consideradas no desenvolvimento da investigação: a primeira delas direcionada para a análise da constituição histórica e estrutural do campo e mercado jornalísticos brasileiros, com suporte em publicações acadêmicas sobre o tema; e a segunda, voltada à avaliação das publicações mais relevantes produzidas para gestores, jornalistas e designers. Os resultados da pesquisa indicam a existência de relativo consenso em relação ao aumento da valorização das modificações em projetos gráficos no campo jornalístico, bem como no que concerne aos aspectos que devem ser modificados e ao tipo de mudanças que devem ser realizadas. Ademais, apontam para a existência de perspectivas diferenciadas entre os três grupos profissionais e a existência de embates, negociações e (re) significações processados por meio dos discursos desses grupos que contribuem para a (re) construção dos padrões existentes no campo organizacional.


Palavras-chave

Discurso Organizacional; Mudança Organizacional; Isomorfismo; Imprensa; Jornalismo


Referências


ABREU, A. A. A modernização da imprensa, (1970-2000). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

ARNDT, M.; BIGELOW, B. Presenting structural innovation in an institutional environment: hospitals' use of impression management. Administrative Science Quarterly, v. 45, n. 3, p. 494-522, 2000.

BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. The social construction of reality: a treatise in the sociology of knowledge. New York: Doubleday Anchor Book, 1967.

CARNICEL, A. O projeto gráfico do jornal: elementos para a preservação da identidade visual sem prescindir das inovações tecnológicas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA

COMUNICAÇÃO, 22., 1999, Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom, 1999. CD-ROM.

CASTOR, T. R. Constructing social reality in organizational decision making: account vocabularies in a diversity discussion. Management Communication Quarterly, v. 18, n. 4, p. 479-508,

CORAIOLA, D. M. Jornalismo e imprensa: contribuições analíticas ao processo de institucionalização. In: CONGRESSO BRASILEIRO

DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 29., 2006,

Brasília. Anais... São Paulo: Intercom, 2006. CDROM.

COSTA, G. M. F. Q. da. As novas tecnologias na imprensa brasileira. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO,

, 2001, Campo Grande. Anais... São Paulo: Intercom, 2001. CD-ROM.

COSTA, T. Jornais precisam recuperar a palavra. Observatório da Imprensa, n. 70, 5 jul. 1999.

DIMAGGIO, P. J. Culture and cognition. Annual Review of Sociology, v. 23, p. 263-287, 1997.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, n. 2, p. 147-160, 1983.

ELSBACH, K. D. Managing organizational legitimacy in the California cattle industry: the construction and effectiveness of verbal accounts. Administrative Science Quarterly, v. 39, n. 1, p.

-88, 1994.

ELSBACH, K. D.; SUTTON, R. I. Acquiring organizational legitimacy through illegitimate actions: a marriage of institutional and impression management theories. Academy of Management

Journal, v. 35, n. 4, p. 699-738, 1992.

ENNE, A. L. S.; DINIZ, B. P. O "Caso Mão Branca" na imprensa do Rio de Janeiro: narrativa jornalística, ficção e o fluxo do sensacional. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA

COMUNICAÇÃO, 28., 2005, Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom, 2005. CD-ROM.

FARBIARZ, A. Sobre universidade, mercado, designer e novas tecnologias. Estudos em Design, v. 4, n. 1, p. 89-103, 1998.

GENTILLI, V. O jornalismo brasileiro nos anos 70. In: ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 10., 2001, Brasília. Anais... Rio de Janeiro: COMPÓS, 2001. CD-ROM.

GIDDENS, A. Novas regras do método sociológico: uma crítica positiva das sociologias compreensivas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

GIDDENS, A. Time and social organization. In: GIDDENS, A. Social theory and modern sociology. Stanford: Stanford University Press.

p. 140–65.

GIDDENS, A. A constituição da sociedade. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

GREEN JR, S. E. A rhetorical theory of diffusion. Academy of Management Review, v. 29, n. 4, p. 653-669, 2004.

GREENWOOD, R.; HININGS, C. R. Understanding radical organizational change: bringing together the old and the new institutionalism. Academy of Management Review, v. 21, n. 4, p. 1022-1054. 1996.

HERACLEOUS, L.; BARRETT, M. Organizational change as discourse: communicative actions and deep structures in the context of information technology implementation. Academy of Management Journal, v. 44, n. 4, p. 755-778, 2001.

HERACLEOUS, L.; HENDRY, J. Discourse and the study of organization: toward a structurational perspective. Human Relations, v. 53, n. 10, p. 1251-1286, 2000.

HIME, G. V. V. C. Na fundação da primeira escola de jornalismo do Brasil, Cásper Líbero gera o conceito de jornalismo moderno. In: ENCONTRO NACIONAL DA REDE ALFREDO DE CARVALHO,

, 2004, Florianópolis. Anais... Rio de Janeiro: Rede Alcar, 2004. CD-ROM.

HOELTZ, M. Design gráfico - dos espelhos às janelas de papel. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 24., 2001, Campo Grande. Anais... São Paulo: Intercom, 2001. CD-ROM.

HOLLIS, R. Design gráfico: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. da; CRUBELLATE, J. M. Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem

recursiva do processo de institucionalização. Revista de Administração Contemporânea, Edição Especial, v. 9, p. 9-39, 2005.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; GUARIDO FILHO, E.; ROSSONI, L. Campos organizacionais: seis diferentes leituras e a perspectiva de estruturação. Revista de Administração Contemporânea, Edição Especial, v. 10, p. 159-196, 2006.

MEYER, J. W.; ROWAN, B. Institutionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociology, v. 83, n. 2, p. 340-363, 1977.

NIEMEYER, L. Design no Brasil: origens e instalação. 3. ed. Rio de Janeiro: 2AB, 2000.

OLIVEIRA, M. R. de. Discursos sobre o dever-ser jornalístico: construindo um capital simbólico. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 27., 2004, Porto Alegre. Anais...

São Paulo: Intercom, 2004. CD-ROM.

OLIVEIRA, M. R. de. A emergência do jornalismo informativo e a construção de representações da identidade profissional. In: ENCONTRO NACIONAL DA REDE ALFREDO DE CARVALHO, 3., 2005, Novo

Hamburgo. Anais... Rio de Janeiro: Rede Alcar, 2005. CD-ROM.

PECI, A.; VIEIRA, M. M. F. A construção do real e práticas discursivas: integrando a dimensão do poder nos processos de institucionalização. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD, 28., 2004,

Curitiba. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2004. CD-ROM.

PHILLIPS, N.; LAWRENCE, T. B.; HARDY, C. Discourse and institutions. Academy of Management Review, v. 29, n. 4, p. 635-652, 2004.

PIVETTI, M. O diálogo gráfico/editorial: projeto gráfico e hipóteses de trabalho. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 28., 2005, Rio de Janeiro. Anais... São Paulo:

Intercom, 2005. CD-ROM.

RANGEL, M. B. A construção da autoridade jornalística: onisciência e onipresença fundamentando o poder simbólico do jornalista. In:

CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 27., 2004, Porto Alegre. Anais... São Paulo: Intercom, 2004. CD-ROM.

RANSON, S.; HININGS, B.; GREENWOOD, R. The structuring of organizational structures.

Administrative Science Quarterly, v. 25, n. 1, p. 1-17, 1980.

RICOEUR, P. Teoria da interpretação. Lisboa: Edições 70, 1987.

RICOEUR, P. Interpretação e ideologias. 4. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990.

SANTOS, M. S. Design de notícias: uma questão holística. Recensio: Revista de Recensões de Comunicação e Cultura, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2006.

SCOTT, W. R. The organization of environments: network, cultural, and historical elements. In: MEYER, J. W.; SCOTT, W. R. Organizational environments: ritual and rationality. London: Sage,

, p. 155-178.

SCOTT, W. R. Institutions and organizations. 2. ed. London: Sage, 2001a.

_______. Unpacking institutional arguments. In: POWELL, W. W.; DIMAGGIO, P. J. (Eds.). The new institutionalism in organizational analysis. Chicago: The University of Chicago Press, 2001b. p.164-182.

SILVA, M. A. R. da. O fazer jornalístico e os trabalhadores em greve: o dilema entre a militância e o profissionalismo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO,

, 2003, Belo Horizonte. Anais... São Paulo: Intercom, 2003. CD-ROM.

SODRÉ, N. W. História da imprensa no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

WEBER, M. Economia e sociedade. 3. ed. Brasília: Editora da UnB, 1998. 2.v.

WHITTINGTON, R. Putting Giddens into action. Journal of Management Studies, v. 29, n. 6, p. 693-712, 1992.

WHITTINGTON, R. et al. Taking strategy seriously: responsibility and reform for an important social practice. Journal of Management Inquiry, v. 12, n. 4, p. 396-409, 2003.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.