EMPREENDEDORES E INOVAÇÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA A ESTRATÉGIA DO EMPREENDIMENTO

Mauricio Henrique Benedetti, Karina Maria Rodrigues Rebello, Daniela Ester Copolo Reyes
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.20060501005

Texto completo:

Artigo

Resumo

O interesse pelo tema empreendedorismo e inovação tem aumentado nos últimos anos, podendo mencionar-se
o crescente número de publicações e a abertura de espaço para discussão em importantes congressos de
administração. Tal constatação motivou a pesquisa exploratória apresentada neste artigo realizada junto aos
empreendedores do setor de panificação do município de São Paulo que implementaram inovações em seus
negócios, convertendo suas padarias de um modelo tradicional para o modelo chamado de conveniência. Os
resultados obtidos a partir de entrevistas com esses empreendedores mostraram que o processo de geração e
implantação de inovações contínuas é motivado pela busca por vantagens competitivas. Como principal fonte
de recursos do processo de inovação nesses pequenos negócios, encontrou-se a própria capacidade e
personalidade do empreendedor, a partir de seu conhecimento, ambição, visão, otimismo e propensão em lidar
com os riscos inerentes às inovações.

 


Palavras-chave

Inovação; empreendedorismo; estratégia


Referências


AAKER, David A. Administração estratégica de mercado. Porto Alegre: Bookman, 2003.

ANSOFF, H. Igor; MCDONNELL, Edward J. Implantando a administração estratégica. São Paulo: Atlas, 1993.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

CASTRO, Luciano T. E.; NEVES, Marcos F.; MERLO, Edgard M. Padarias: alternativas de posicionamento frente um novo cenário. In: SLAD 2004. Anais do XVII Congresso Latino-Americano de Estratégia. Itapema: SLADE, 2004.

CORDEIRO, Adriana T., PAIVA Jr., Fernando G. . Empreendedorismo e o espírito empreendedor: uma evolução dos estudos na produção acadêmica brasileira. In: ENANPAD 2003. Anais, Atibaia: ANPAD, 2003.

DEGEN, Ronald J. O empreendedor fundamentos da iniciativa empresarial. São Paulo: Makron Books, 1989.

DORNELAS, José Carlos A. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

DRUCKER, Peter F. Inovação e espírito empreendedor. São Paulo: Pioneira, 1987.

FILION, Louis J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. RAUSP, São Paulo v.34, n.2, p.05-28, abril/junho 1999.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Bookman, 2004.

FOSTER, Richard. Inovação: a vantagem do atacante. São paulo: Best Seller, 1988.

GAMBIN, Anthony J. The Value of Innovation. Management Accounting. Montvale, setembro, 1998.

HARGADON, Andrew; SUTTON, Roert I. Building an innovation factory. Harvard Business Review. v.78, n.3, p.157-156. Boston: Mai/Jun, 2000.

HUSSEY, David. Creativity, Innovation and Strategy. In: HUSSEY, David (Editor) The Innovation Challenge. Chichester: John Wiley & Sons, 1997.

KAPLAN, Robert & NORTON, David P. Organização Orientada para a Estratégia. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

KIRZNER, Israel M. Competição e atividade empresarial. Rio de janeiro: Instituto Liberal, 1986.

LEVY, M.; WEITZ, B. A. Administração de Varejo. São Paulo: Atlas, 2000.

LONGENECKER, Justin G. MOORE, Carlos W.; PETTY, J. William. Administração de Pequenas Empresas. São Paulo: Makron Books, 1997.

LOW, Murray B. The adolescence of entrepreneurship Research: Specification of purpose. Entrepreneurship Theory and Practice. v.25, n.4, p17-25. Waco: Verão, 2001.

LUECKE, Richard. Managing Creativity and Innovation. Harvard Business School Press: Boston, 2003.

MALHOTRA, Naresh. Pesquisa de Marketing. Porto Alegre: Bookman, 2001.

McCARTHY, B. The impact of the entrepreneur’s personality on the strategy-formation and plannung process in SME. Irish Journal of Management. v.24, n.1, p154-173. Cork, 2003.

McCLELLAND, David C. A sociedade Competitiva – Realização e Progresso Social. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

MINTZBERG, Henry; AHLASTRAND, Bruce; LAMPLE, Joseph. Safari de Estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2000.

OHMAE, Kenichi. O Estrategista em ação: a arte japonesa de negociar. São Paulo: Pioneira, 1985.

PERRY, Lee T. Estratégia Ofensiva: Como tornar sua empresa tão competitiva quanto as japonesas e coreanas. São Paulo: Makron Books, 1993.

PORTER, Michael E. Vantagem competitiva criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

PORTER, Michael E. Criando as vantagens de amanhã. In: GIBSON, Rowan. Repensando o Futuro. São Paulo: Mackron Books, 1998.

PORTER, Michael E. The Competitive Advantage of Nations. Harvard Business Review. v. 68, n.2, p.73-93. Boston: Mar/Abr, 1990.

REVISTA TECNOPAN. Setembro, 2004. Disponível em Acesso em 03/01/2005.

ROGERS, Evereth M. Diffusion of innovations. New York. Free Press, 1995.

SALIM, Simões; NASAJON, Cláudio; SALIM, Helene; MARIANO, Sandra. Administração empreendedora: teoria e prática usando estudos de casos. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

SCHUMPETER, Joseph A. Capitalism, socialism, and democracy. New york: Harper, 1950.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Disponível em Acesso em 09/12/2004.

SINDIPAN - Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo. Disponível em

http://www.sindipan.org.br/analise/analise.htm>. Acesso em 30/10/2004.

STALK, George Jr. Tempo: A Próxima Fonte de Vantagem Competitiva. In: MONTGOMERY, Cynthia A. & PORTER, Michael E. Estratégia: a busca da vantagem competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

THOMKE, Stefan H. Managing experimentation in the design of new products. Management Science. v.44, n.6, p.743-762. Linthicum: Jun, 1998.

VAN de VEM, Andrew. Central problems in the management of innovation. Management Science. v.32, n.5, p.590-607. Maio, 1986.

VON HIPPEL, Eric; THOMKE, Stefan; SONNACK, Mary. Creating breakthroughs at 3M. Health Forum Journal. v.43, n.4, p.20-26. São Francisco: Jul/Ago: 2000.

WRIGHT, Peter; KROLL, Mark J.; PARNELL, John. Administração Estratégica – Conceitos. São Paulo: Atlas, 2000.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.