MENSURAÇÃO DA CULTURA ORGANIZACIONAL: UMA ANÁLISE QUANTITATIVA-COMPARATIVA

Valderí de Castro Alcântara, Luís Fernando Silva Andrade, Raquel Santos Soares Menezes, Pedro Ivo Vieira Good God
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20100902007

Texto completo:

Artigo

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a cultura organizacional de empresas localizadas em duas cidades mineiras com características quantitativas distintas, Rio Paranaíba e Araxá.  Enquanto as empresas amostradas em Rio Paranaíba são em sua maioria micro e pequenas empresas (86%), em Araxá são médias e grandes empresas (53%). O objetivo geral é verificar se existe diferença significativa na cultura organizacional entre estas empresas que podem ser explicadas por fatores inerentes ao tamanho da empresa. A pesquisa foi de natureza quantitativa e os instrumentos de coleta de dados consistiram na aplicação de um questionário e uma escala de mensuração da cultura organizacional contendo quatro dimensões: Índice de Distância Hierárquica (IDH), Índice de Individualismo (INDI), Índice de Masculinidade (MASC) e o Índice de Controle da Incerteza (CINC). A tabulação e análise dos dados foram feitas com auxílio do PASW Statistics 18, com o qual se realizaram procedimentos estatísticos descritivos e inferenciais. Utilizando um Fator Redutor (-21) os índices alcançados em cada empresa foram classificados em 5 categorias de intensidade (entre “muito baixa” e “muito elevada”). Realizou-se o Teste t de Student para duas médias que revelou diferenças significativas nos índices de Distância Hierárquica e Individualismo entre as empresas das duas cidades (p<0,05).

 

 


Palavras-chave

Cultura Organizacional; Dimensões da Cultura Organizacional; Araxá; Rio Paranaíba


Referências


AZEVEDO, F. de. A cultura brasileira. 4. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1964.

BARBETTA, P. A. Estatística aplicada às ciências sociais. 5. ed. Florianópolis: UFSC, 2003.

BARBOSA, L. Igualdade e meritocracia: a ética de desempenho nas organizações modernas. 4. ed. Rio de janeiro: FGV, 2003.

CARRIERI, A. P. A cultura no contexto dos estudos organizacionais: breve estado da arte. 2002. Revista de Administração da Ufla, Lavras, v. 4, n. 1, jan/jun. 2002.

CROMBACH, L. J. Fundamentos da testagem psicológica. 5 ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

DAMATTA, R. O que faz o Brasil, Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

DELA COLETA, J. A.; DELA COLETA, M. F. Cultura organizacional e avaliação de instituições de educação superior: semelhanças e diferenças. Psico-USF, v. 12, n. 2, p. 227-237, jul./dez. 2007.

FREYRE, G. Casa-grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51. ed. São Paulo: Global Editora, 2006.

HAIR J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

HOFSTEDE, G. Culturas e organizações: compreender a nossa programação mental. Lisboa: Edições Sílabo, 1997.

HOFSTEDE, G. Culture’s consequences: international differences inwork related values. London: Sage Publications, 1984.

HOFSTEDE, G. Culture and organizations: software of the mind. New York: McGraw-Hill, 1991.

HOUSE, R. J. et al. Culture, leadership and organizations: the GLOBE, study of 62 societies. Thousand Oaks: Sage. 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Censo 2007. Disponível em: . Acesso em: 23 dez. 2009.

LINTON, R. Cultura e personalidade. São Paulo: Mestre Jou. 1945.

MARTIN, J. Organizational culture: mapping the terrain. Thousand Oaks : Sage, 2002.

MARTINS, G. A. Estatística geral e aplicada. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MOTTA, F. C. P.; CALDAS, M. P. (Org.) Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1997.

PEREIRA, A. Guia prático de utilização do SPSS: análise de dados para ciências sociais e psicologia. 5. ed. Lisboa: Edições Sílabo, 2004.

PINTO, M. M. R. A. Cultura organizacional e características de liderança em empresas de Uberlândia e região. Dissertação de mestrado. Uberlândia, 2005.

RAMOS, A. G. A nova ciência das organizações: uma reconceituação da riqueza das nações. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1989.

SCHEIN, E. Organization culture and leadership. San Francisco: Jossey-Bass, 1985.

SMIRCICH, L. Concepts of culture and organizational analysis. Administrative Science Quartely, n. 28, p. 339- 358, 1983. doi:10.2307/2392246.

SOUZA, E. L. P. de. Clima e cultura organizacionais: como se manifestam e como se manejam. Porto Alegre: Edgar Blücher, 1978.

TANURE, B. Gestão à brasileira: somos ou não diferentes? São Paulo: Atlas, 2003.

TYLOR, E. B. Primitive culture: Researches into the development of mythology, philosophy, religion, language, art and custom. London: J. Murray. 1871.

WAGNER, M. B.; MOTTA, V. T. E DORNELLES, C. SPSS passo a passo. Caxias do Sul: Educs; 2004




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.