EVIDÊNCIAS DO EMPREENDEDORISMO INTERNO EM ORGANIZAÇÕES NO CONTEXTO DA INOVAÇÃO

Magnus Luiz Emmendoerfer, Josiel Lopes Valadares, Marcos Hashimoto
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20100902002

Texto completo:

Artigo

Resumo

Este trabalho é um ensaio teórico resultante de uma pesquisa no Brasil sobre a construção do conhecimento em empreendedorismo. Tem como objetivo identificar e discutir as evidências do empreendedorismo interno, tomando como base dois elementos empíricos, o “Intraempreendedorismo” e o “Empreendedorismo Corporativo” em organizações no contexto da inovação. Em termos metodológicos, as fontes de dados foram essencialmente secundárias, tomando como base principal a produção técnica-científica sobre o objeto em estudo. Fez-se uso de princípios de meta-análise e da técnica de análise de conteúdo que permitiram observar diferenças entre o Intraempreendedorismo e o Empreendedorismo Corporativo em termos organizacionais e comportamentais. Dentre os resultados principais, percebe-se enquanto reflexões necessárias no campo, a necessidade de clarificação dos elementos que distinguem os empreendedores corporativos dos intraempreendedores nas organizações, bem como compreender os elementos que estimulam comportamentos voltados ao empreendedorismo interno. Dentre os comportamentos mais evidenciados em organizações inovadoras destacam-se: busca de oportunidades e iniciativa, estabelecimento de metas, planejamento e monitoramento sistemáticos, persuasão e redes de contatos, independência e autoconfiança. Como perspectivas futuras de investigação, têm-se um vasto campo para explorar em as singularidades da manifestação do empreendedorismo interno nas organizações contemporâneas e em perspectiva comparada, especialmente naquelas inseridas no contexto da inovação.

 


Palavras-chave

Empreendedorismo Corporativo; Intraempreendedorismo; Inovação


Referências


ALBERNETHY, A. M.; FRANKE, G. R. “The information content of advertising: a meta-analysis”. Journal of Advertising, v. 25, n. 2.

Minneapolis: American Academy of Advertising, 1996, p. 1-17.

BALBI, R. V.; VALADARES, J. L. Estratégia e planejamento. bases da cultura empreendedora. um trabalho teórico In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 25. Anais... Brasília (DF). SIMPÓSIO/ANPAD. 2008. CD.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BERTERO, C. O.; CALDAS, M. P., WOOD JR., T. Critérios de avaliação da produção científica em administração no Brasil. Relatório de pesquisa. São Paulo: NPP/EAESP-FGV, 1998.

BORINI, F. M; OLIVEIRA JUNIOR, M. de M.; GUEVARA, A. J. H. Proposição de uma tipologia das subsidiárias estrangeiras no Brasil: resultados de evidências empíricas. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 29. Anais... Brasília. EnANPAD. 2005. CD.

CÂMPELO, A. F; ALMEIDA, A. M. B. É possível desenvolver habilidades de intraempreendedorismo em estágios supervisionados? Analisando uma proposta de aproximação teórico-empírica. In: ENCONTRO DE ENSINO E PESQUISA EM

ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE, 1, Anais... Recife. EnEPQ/ANPAD. 2007.

CARDOSO, O. de O; BARINI FILHO, U. A abordagem cognitiva na formação da competência empreendedora: caso da Odebrecht. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 27. Anais... Atibaia: EnANPAD/ANPAD. 2003. CD.

CHIEH, N.; ANDREASSI. Intraempreendedorismo: um estudo de caso sobre o entendimento e a aplicação dos fundamentos organizacionais associados ao termo. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 31. Anais... Rio de Janeiro. EnANPAD/ANPAD. 2007. CD.

COZZI, A.; ARRUDA, C. Desenvolvimento a capacidade empreendedora de uma organização. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, 3. Anais... Atibaia. EnEO/ANPAD. 2004. CD.

DELLAGNELLO, E. H. L. Novas formas organizacionais: ruptura com o modelo burocrático? Florianópolis, 2000. 179f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção), Centro Tecnológico. Universidade Federal de Santa Catarina.

DORNELAS, J. C. Empreendedorismo corporativo. São Paulo: Campus, 2003.

DURKHEIM, E. As regras do método sociológico: texto integral. São Paulo: Martin Claret, 2002.

EMMENDOERFER, M. L. A estratégia e o planejamento como pilares da cultura empreendedora: um trabalho teórico na perspectiva brasileira. Revista Qualit@as (UEPB), v. 7, n. 1, p. 9, 2008.

EMMENDOERFER, M. L. As transformações na esfera do trabalho no final do século XX. Florianópolis, 2000. 53f. Monografia (Prêmio Senador Milton Campos 2000). Fundação Milton Campos - Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, 2000.

EMMENDOERFER, M. L. Controle do tempo: a percepção dos atores gerenciais da Usiminas S.A. Florianópolis, 2004. 205f. Dissertação (Mestrado em Administração). Programa de Pós-Graduação em

Administração. Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

EMMENDOERFER, M. L. Geração de idéias e tempo livre: o caso da Imaginarium. Florianópolis, 2002. 214f. Monografia (Curso de Graduação em Administração). Centro Socioeconômico. Universidade Federal de Santa Catarina.

EMMENDOERFER, M. L.; COLAÇO, P.; PEREIRA, M. F. Evidências e reflexões para a cultura do empreendedorismo e inovação nas organizações: um estudo teórico-empírico sobre a estratégia do tempo livre. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 17., 2006, São Luis. Anais... ANGRAD, 2006.

EMMENDOERFER, M. L.; VALADARES, J. L.; BALBI, R. V. Esforços para a construção do conhecimento sobre “empreendedorismo interno”: reflexões e perspectivas a partir de eventos da ANPAD (1997-2007). In: SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 25. Anais... Brasília (DF). SIMPÓSIO/ANPAD. 2008. CD.

EPSTEIN, J. H. “Making sense of science: the rise of meta-analysis”. Book review. The Futurist, v. 32, n. 2, 1998, p. 44-45.

FILION, L. J, Entendendo os intra-empreendedores como visionistas, Revista de Negócio, FURB, v.9, n.2, abril/junho, 2004 (edição especial empreendedorismo).

GARCÊS, M. G; SBRAGIA, R. As estratégias de empreendedorismo corporativo interno por desenvolvimento de mercados e os fatores críticos do sucesso. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 30. Anais... Salvador. EnANPAD. 2006. CD.

GUIMARÃES, T. B. C; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Empreendedorismo corporativo e comportamento estratégico: estudo de caso. In: SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 24. Anais... Gramado. SIMPÓSIO/ANPAD. 2006. CD.

HASHIMOTO, M. Espírito Empreendedor nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2006.

HISRICH, R. D.; PETERS, M. P. Empreendedorismo. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

HUNT, M. How science takes stock. New York: Russell Sage Foundation, 1997.

IRELAND, R. D., COVIN, J. G.; KURATKO, D. F. Conceptualizing corporate entrepreneurship strategy. Entrepreneurship Theory and Practice, v. 33, n. 1, p. 19-46, jan., 2009. doi:10.1111/j.1540-

2008.00279.x

MACHADO-DA-SILVA, C.; CARNEIRO DA CUNHA, V.; AMBONI, N. Organizações: o estado da arte da produção acadêmica no Brasil. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 14, 1990. Anais. Belo Horizonte: ANPAD, 1990. p. 11-28. v. 6 (Organizações).

MALLMANN, T. D. M; BORBA, B. W; RUPPENTHAL, J. E. Avaliação as tipologia dos empreendedores residentes de incubadoras utilizando o teste “Kersey Temperament Sorter”. O caso da incubadora

tecnológica se Santa Maria. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 29. Anais... Brasília: EnANPAD/ANPAD. 2005. CD.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes. São Paulo : Atlas, 1995.

MINTZBERG, H.; QUINN, J. B. O processo da estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

OAKLEY, K. Not so cool Britannia: The role of the creative industries en economic development. International Journal of Cultural Studies, v. 7, n.1, p.67-77, mar., 2004. doi:10.1177/1367877904040606.

PESSOA, E.; GONÇALVES, S. M. G. Administração empreendedora: uma abordagem comportamental. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 28. Anais… Curitiba. EnANPAD/ANPAD. 2004. CD.

PHAN, P. H. Corporate entrepreneurship: Current research and future directions, Journal of Business Venturing, v. 24, n. 3, p. 197-205, may, 2009. doi:10.1016/j.jbusvent.2009.01.007

PINCHOT III, G. Intrapreneuring. São Paulo: Harbra, 1989.

SANTOS, P. N. dos; LEZANA, Á. G. R. As características do comportamento do intraempreendedor. In: ENCONTRO NACIONAL DE EMPREENDEDORISMO, 3., 2001, Florianópolis. Anais... Florianópolis: [s. n.]. CDROM.

SEIFFERT, P. Q. Empreendendo novos negócios em corporações: estratégias, processo e melhores práticas. São Paulo: Atlas, 2005.

SEQUEIRA, S. V. Intraempreendedorismo em organizações não-governamentais como prática de gestão e como legitimação: estudo de caso da ONG REFAZER. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 29. Anais. Brasília: EnANPAD/ANPAD. 2005. CD.

STONER, J. A. F.; FREEMAN, R. E. Administração. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1994.

THOMPSON, J. D. Organizations in action. New York: McGraw-Hill, 1967.

UNCTAD – UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT. Empretec. On-line. Disponível em: . Acesso em: jun. 2008.

URICCHIO, W. Beyond the great divide: Collaborative networks and the challenge to dominant conceptions of creative industries. International Journal of Cultural Studies, v. 7, n.1, p.79-90, Mar., 2004. doi:10.1177/1367877904040607

VALADARES, J. L.; EMMENDOERFER, M. L.; Existem diferenças comportamentais entre empreendedor corporativo e intraempreendedor? In: ENCONTRO MINEIRO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 5. Anais... Viçosa/MG. EMEPRO. 2009. CD.

VAN DE VEN, A. H. Central problems in the management of innovation. Management Science, v. 32, n. 5, may, 1986. doi:10.1287/mnsc.32.5.590

WEBER, M. Economia e sociedade. 4. ed. Brasília: UnB, 2004. 2v.

WOOD JR., T.; BENDASSOLLI, P. F.; KIRSCHBAUM, C.; PINA E CUNHA, M. (Coord.). Indústrias criativas no Brasil. São Paulo: Atlas, 2009.

ZIMMER, P.; HOELTGEBAUM, M. Um estudo sobre a empregabilidade dos funcionários de uma estatal. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, 3, Anais... São Paulo: EnEO/ANPAD, 2004. CD.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.