O problema dos mais novos: um estudo de caso sobre o conflito de gerações na linha de produção de uma montadora automotiva da Região Metropolitana de Curitiba

José Henrique de Faria, Camila Bruning
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.2013026

Texto completo:

Artigo

Resumo

Este artigo apresenta resultados e discussão de um estudo de caso em profundidade em que se buscou identificar e analisar as avaliações dos trabalhadores da linha de produção de uma empresa do setor automotivo, aqui denominada Gama, em relação ao seu contexto de trabalho, às vivencias de prazer e sofrimento e os custos e danos decorrentes do trabalho. Nesta pesquisa foi possível identificar diferenças nas avaliações entre grupos de trabalhadores de diferentes idades e tempos de empresa. Fundamenta-se a análise na teoria da Economia Política do Poder para analisar as tecnologias de gestão e controle que compõe o contexto de trabalho e na da Psicodinâmica do Trabalho, para analisar a dinâmica do sofrimento, resistência, prazer e adoecimento dos trabalhadores inseridos neste contexto. As técnicas de pesquisa utilizadas foram de natureza “quali-quanti”, a partir da observação sistemática e de entrevistas, bem como por meio da aplicação do Inventário de Trabalho e Riscos de Adoecimento – ITRA.

 


Palavras-chave

Prazer e Sofrimento; Mecanismos de Controle; Tecnologia de Gestão; Relações de Poder; Conflitos de Geração no Trabalho


Referências


Arendt, H. (1999). Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras.

Bardin, L. (1979). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bernardo, M. H. Trabalho duro, discurso flexível. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

Berberoglu, B. (Ed.). Labor and capital in the age of globalization. Maryland: Rowman & Littlefield Publishers, 2002.

Bruning, C. (2010). Prazer, sofrimento e riscos de adoecimento na linha de produção: um estudo de caso em uma empresa do setor automotivo da região metropolitana de Curitiba. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil.

Cassandre, M. P.(2008). As Pressões Advindas da Reconfiguração Produtiva dos cursos Stricto-Sensu e seu Impacto Sobre a Saúde de Docentes em Universidades Públicas. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Paraná, Brasil.

Dancey, C. P., & Reidy, J. (2006). Estatística sem matemática para psicologia: usando SPSS para Windows. (3ª ed.). Porto Alegre: Artmed.

Dejours, C. (1987). A loucura do trabalho. São Paulo: Atlas.

Dejours, C. (1997). O fator humano. Rio de Janeiro: FGV.

Dejours, C. (2000). A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: FGV.

Dejours, C., Abdoucheli, E. & Jayet C. (1994). Psicodinâmica do Trabalho: contribuições da Escola Dejouriana à Analise da Relação Prazer, Sofrimento e Trabalho. São Paulo: Atlas.

Faria, J. H. (1984). Círculos de controle de qualidade: a estratégia recente da gestão capitalista de controle e modificação do processo de trabalho. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 19(3), 9-16.

Faria, J. H. (2004). Economia Política do Poder. (5ª. Ed.). Curitiba: Juruá,

Faria, J. H. (1997). Tecnologia e processo de trabalho. (2ª. Ed.). Curitiba: Editora da UFPR.

Faria, J. H. (2010). Materialismo histórico em estudos interdisciplinares. Curitiba: EPPEO.

Faria, J. H. (2011). Epistemologia Crítica, Metodologia e Interdisciplinaridade. Curitiba: EPPEO.

Faria, J. H., & Meneguetti, F. K. (2007). O sequestro da subjetividade e as novas formas de controle psicológico no trabalho. In: J. H. de Faria (Org.). Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 45-67.

Ferreira, M. C. & Mendes, A. M. (2003). Trabalho e riscos de adoecimento: o caso dos auditores-fiscais da previdência social brasileira. Brasília: FENAFISP.

Freud, S. (1996). Além do princípio do prazer. In S. Freud, Obras Completas. v. XVIII. Rio de Janeiro: Imago.

Gaulejac, V. (2007). Gestão Como Doença Social - Ideologia, Poder Gerencialista e Fragmentação Social. São Paulo: Ideias e Letras.

Hair, J., Anderson, R. E., Tatham, R. L., & Black W. C. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Kosik, K. (2007). Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Lacan, J. (1966). Le Stade du Miroir comme formateur de la fonction du JE. In: Écrits. Paris: Seuil.

Marx, K. (1977). O 18 Brumário e Cartas a Kugelmann. Rio de Janeiro; Civilização Brasileira.

Mattos, P. (2006). A sociologia política do reconhecimento. São Paulo: Annablume.

Mendes, A. M. (org) (2007). Psicodinâmica do trabalho: teoria, método, pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Souza, J. (2007). Teoria Critica no século XXI. São Paulo: Annablume.

Tamayo, A.(2004). Cultura e saúde nas organizações. Porto Alegre: Artmed Editora.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.